Solitário, amor eterno!

Sabe como surgiu a tradição do solitário como um anel de noivado?

A tradição do solitário para noivado surgiu no século XV e reza a história que foi o Arquiduque Maximiliano I da Aústria que encomendou o primeiro solitário para oferecer à sua noiva, Maria de Borgonha.

O solitário deveria ser usado no dedo anelar esquerdo, por onde se acreditava passar a veia do amor, que seguia até ao coração. Significa um círculo infinito e o amor eterno.

Fundindo a tradição com o contemporâneo, surge o anel solitário Novius disponível em três opções. Saiba mais em oxum.pt.

Usamos cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação.
Para saber mais sobre cookies e como geri-los, consulte a nossa Política de Cookies.